Empreender fora do país de origem | Laura Cacau

Por Laura Cacau

Em conversas com empreendedores na Austrália, Brasil, Nova Zelândia e França percebi que muitos imigrantes deixam seu país com a intenção de buscar novas oportunidades para suas vidas e carreiras, porém quando se deparam a nova realidade, percebem que os requerimentos da vida no exterior não sempre se alinham à visão planejada, principalmente a longo prazo.

Claro! Nascemos, crescemos e vivemos dentro de uma cultura. Não dá para sonhar com os mesmos confortos. E é aí que somos pegos pelas pernas.

Começar o próprio negócio é um passo além, que envolve não apenas o entendimento do novo idioma, a adaptação no mercado de trabalho, a compreensão do ritmo de vida daquela cultura. Mas, quem empreende (nome simpático que encontramos para traduzir nossa sobrevivência, com criatividade) precisa entender que está contribuindo literalmente para o sustento e desenvolvimento econômico do país.

Junto com a responsabilidade de criar um negócio do zero, entre todas as adaptações e burocracias, vem a vontade de melhorar a qualidade de vida comparando com nosso país de origem. Sempre digo que as pessoas que deixam o país para viver no estrangeiro já possuem a mais importante qualidade, a mesma necessária para empreender: co-ra-gem.

Já parou para pensar que não existe valentia sem riscos, incertezas ou exposição emocional? Ser corajoso requer vulnerabilidade, ousadia e fazer o que for necessário para conquistar e viver os próprios sonhos. O empreendedor que decidiu empreender no exterior está arriscando pela segunda vez, então ousar já é um sentimento familiar: “por que não apostar mais uma ficha?”

Depois de tantos desafios para se ajustar a uma nova cultura, clima, relacionamentos, rotina, língua, mudanças físicas e mentais, o viajante empreendedor não tem medo de falhar, ele entende e aprende a ressignificar o medo assustador da derrota pela visão inspiradora de maiores possibilidades e potenciais.

E como mitigar os riscos de um empreendedorismo?

Abaixo segue uma lista da minha própria experiência para priorizar o que realmente é importante:

  • Entenda os passos de iniciar e legalizar um negócio de acordo com o país que você decidir residir;

  • Procure alguém você admira e que já passou por esses primeiros passos e que possa servir como mentor(a), te orientando com experiências e técnicas reais;

  • Comece com propósito e objetivo, mesmo que os mesmos mudem ao longo do tempo, é extremamente importante ter um planejamento eficiente e efetivo baseado na meta final;

  • Conheça seus diferenciais;

  • Crie colaborações como meio de expor seu negócio e ampliação de seu network - juntas vamos mais longe;

  • Não se importe com opiniões e julgamentos daqueles que não pensam como você, nem todos estão dispostos a arriscar;

  • Tenha confiança no seu projeto e em mais ainda em você mesma, conscientize-se que sua entrega é única porque você é única;

  • Seja consistente e determinada, se esforce até que o sucesso seja a única opção.


“Todo o crédito pertence ao homem que está de fato na arena; cuja face está arruinada pela poeira, pelo suor e pelo sangue; aquele que luta com valentia; aquele que erra e tenta de novo e de novo; aquele que conhece o grande entusiasmo, a grande devoção e se consome em cada uma causa justa; aquele que ao menos conhece, ao fim, o triunfo de sua realização, e aquele que na pior das hipóteses, se falhar, ao menos seguirá agindo excepcionalmente, de modo que seu lugar não seja nunca junto aquelas almas frias e tímidas que não conhecem nem a vitória nem a derrota.’’

Theodore Roosevelt

 
 
 

 
lauwmnredondo.png

laura cacau

coach em alinhamento de vida e finanças, terapeuta holística e embaixadora da wmn na austrália. ela pode ser a sua também.